PARTICIPE

O que você achou do novo site do SINEPE/SC?






/ NotÍcias A+   A-

Colégio Cruz e Sousa ingressa em seu ano 16. É preciso montar novos cenários educativos, diz professor Antônio (Toninho) Carlos Nunes

23/01/2018

Cruz e Sousa e a recriação da educação


Foto divulgação

Momento em que professor Antonio (Toninho) Carlos Nunes

toma posse no Conselho Estadual de Educacao de SC 

 

Conhecimento, ética e incorporação de novas tecnologias têm sido a marca

do Colégio Cruz e Sousa nos últimos 15 anos. Instalado em um moderno prédio

que ocupa área de 5 mil metros quadrados às margens da SC 401, no trevo de

acesso à Santo Antônio de Lisboa, o Colégio dá início ao seu 16º reafirmando

os conceitos inovadores que em 2002 lhe deram origem e o tornaram

referência na educação de qualidade.

Nesta entrevista à coluna, o professor Antônio Carlos Nunes, Diretor Pedagógico,

faz um balanço dessa trajetória, avalia o ano que começa e lança

um desafio ao arrojo e à criatividade de todos que estão atentos aos

rumos da educação: conciliar humanismo e tecnologia na era do conhecimento.

Professor Toninho, como é chamado carinhosamente por seu alunos e colegas

desde os tempos da sala de aula, onde se iniciou na profissão na

década de 1980, frisa que no mundo globalizado, em meio ao intenso

avanço da ciência e da mídia eletrônica, os meios de aprendizagem

e de conhecimento estão sendo dinamicamente alterados e

vêm transformando o comportamento das pessoas.

 

 

Professor Toninho e sua linda filhota, Maria Antonia.  

"É preciso, sim, montar novos cenários educativos".

 

 

O que o senhor quer dizer com "novos cenários educativos"?

Antônio Carlos (Toninho) Nunes - É uma escola focada no perfeito atendimento, aprimoramento tecnológico e qualidade de serviços para proporcionar ao aluno, que é a razão da sua existência, as melhores soluções para o aprendizado. Com essa determinação, pode oferecer à comunidade onde está inserida um serviço diferenciado.

 

Como aconteceu sua transição entre a sala de aula e a direção pedagógica?

Em meados da década de 90, começamos, o professor João Silveira e eu, a investir na ideia de um colégio que tivesse o domínio dos novos códigos e linguagens. Era uma exigência profissional e um apelo das crianças e adolescentes nas salas de aula daquela irrequieta década. A partir desta constatação, e atendendo à linha traçada pelos Parâmetros Curriculares Nacionais, fomos inspirados por essas propostas inovadoras que se cruzaram com os nossos ideais. Daí foi um salto para a criação do Colégio Cruz e Sousa.

 

De que forma se consolidou esse novo conceito de escola?

Nesta perspectiva, nosso projeto, concebido no ato de educar, vem realizando parcerias inteligentes e incentivando soluções compartilhadas com todos os educadores, incluindo pais, professores, empresas, associações comunitárias e todos os demais interessados com o futuro da educação. Graças a esse compromisso, os resultados têm sido excelentes. Através dessa parceria podemos, juntos com a sociedade organizada, traçar rumos, produzir meios e assegurar eficiência acadêmica.

 

O que o senhor e o professor Joao viram de tão significativo em Cruz e Sousa que o levaram a dar o nome do poeta ao Colégio?

Vimos a oportunidade de reverenciar a memória deste notável catarinense e criar uma grande marca na distribuição do conhecimento. É na escola que se constrói a cidadania ativa. Cruz e Sousa, com sua excepcional obra, nos legou muitos ensinamentos. Cultivar sua memória é estimular o desenvolvimento humano e social das novas gerações.

 

Quais as perspectivas para 2018?

Tem que ser algo que represente ruptura. Nós, educadores, avaliamos a mudança do calendário, com a virada do ano, como uma grande oportunidade para que as coisas saiam como devem ser.

Focamos as pessoas, sua experiência, sua vontade para fazer de cada momento uma nova chance para ampliar o conhecimento. As novas gerações estão cada vez mais exigentes, e cabe a nós maravilhá-las, pois estão expostas a uma infinidade de estímulos. Haverá maior estímulo do que atendê-las na velocidade crescente com que crescem e se transformam?

Eis o nosso desafio. Melhorias na educação têm como consequência direta melhorias significativas na sociedade. (Entrevista extraída da coluna da jornalista Yula - http://www.portalmakingof.com.br/colunayulajorge/cruz_e_sousa_e_a_recriacao_da_educacao.html)

 

  
 

 

Bookmark and Share imprimir
ACESSE


NEWSLETTER

Receba todas as novidades do SINEPE/SC via e-mail